Início > Análise > O que significa silêncio de Rodrigo Maia em meio à crise de Bolsonaro com STF?

O que significa silêncio de Rodrigo Maia em meio à crise de Bolsonaro com STF?


O presidente Jair Bolsonaro participa, ao lado do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de solenidade de posse nos novos procuradores do Ministério Público.

©Andre Borges / Folhapress

Após a demissão de Sergio Moro, na última semana, e da bomba que o ex-ministro jogou na direção do presidente Jair Bolsonaro, muitos estranharam o silêncio de Rodrigo Maia.

O presidente da Câmara tem em mãos alguns pedidos de impeachment contra o presidente da república. O pronunciamento de Moro indicou uma conjugação de crimes comuns e de responsabilidade que estariam pavimentando o caminho do impeachment, e Maia poderia agir para derrubar o presidente.

Por que Rodrigo Maia se mantém em silêncio durante toda a atual crise política? A aproximação de Bolsonaro com o Centrão – grupo de partidos de centro-direita, de que faz parte o DEM, agremiação de Maia – teria transformado o presidente da Câmara dos Deputados em uma espécie de defensor do presidente?

Para Rodrigo Augusto Prando, professor e pesquisador da Universidade Presbiteriana Mackenzie, graduado em Ciências Sociais, Mestre e Doutor em Sociologia, pela Unesp de Araraquara, essa afirmação não reflete a realidade.

O profissional destacou que o processo de impeachment é um processo jurídico e político e que Rodrigo Maia, apesar de ter sido “confrontado e atacado durante um ano e quatro meses”, observa atentamente a conjuntura.

“Juridicamente me parece que Bolsonaro tem se esforçado muito para entregar esses elementos do crime de responsabilidade, pelo menos”, acrescentou Prando à Sputnik Brasil.

Ele destacou também que o ex-ministro Sergio Moro, ao deixar o cargo na semana passada, teria apresentado elementos de crime comum, praticado por Bolsonaro, ao tentar interferir no trabalho da Polícia Federal.

Desse modo, a resposta para o silêncio de Maia, segundo o acadêmico, reside no aspecto político do processo de impedimento.

“Rodrigo Maia, como presidente da Câmara, não quer elaborar um movimento que signifique uma derrota para ele no Parlamento”, esclareceu.

O presidente ainda conta com 30% de apoio, daqueles que consideram o seu governo como ótimo, e esse número se mantém estável, mesmo com a primeira debandada de 15% no início do governo.

Além disso, as ruas estão vazias e sem protestos, em função da pandemia. E manifestações são um elemento importante para o início de um processo de impeachment.

Um outro fator importante a considerar durante a pandemia, seria a reticência da maior parte dos políticos de negociar à distância.

“O processo de impeachment envolve uma negociação muito próxima, ao pé de ouvido muitas vezes. Então, estando os deputados afastados uns dos outros por conta da pandemia, a negociação de um processo de impeachment deveria ser feita ligando um pro outro, mandando textos, mandando áudios”, ponderou o entrevistado.

“Rodrigo Maia, vendo essa somatória de cenários, percebe que não há condições objetivas, que ele não teria 3/5 de deputados aprovando [o impeachment]”, acrescentou.

O analista reconheceu que a aproximação de Bolsonaro ao Centrão, grupo representante da “velha política”, segundo a linguagem do próprio Bolsonarismo, deu certo fôlego ao governo e afastou, por hora, o risco de abertura de investigação para um impeachment. No entanto, “se a situação do país, em termos econômicos, ou em questões relacionadas ao coronavírus e pandemia, deteriorar a situação política, nem mesmo o ‘Centrão’ fica no barco governista”, certificou o professor.

Por isso, apesar da evidente insatisfação política no Parlamento com Bolsonaro, o mecanismo constitucional é mais complexo para dar o andamento ao impeachment.

Por outro lado, Rodrigo Prando acredita que Bolsonaro continua enfraquecido, em função de pelo menos três investigações em curso no Supremo Tribunal Federal que afetam o presidente e também os seus filhos.

“Então, se Rodrigo Maia está em silêncio, é um silêncio atento aos fatos”, concluiu o professor.

As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik


Fonte: © Sputnik

Publicidade

Sobre Geek News

Geek News é uma agência Brasileira que lhe apresenta as principais e mais recentes notícias, notícias urgentes, temas políticos, econômicos e sociais da atualidade.

Veja Também

Imigrantes venezuelanos no estado de Roraima, Brasil (arquivo)

Compromisso do Brasil com refugiados permanece em meio às crises políticas, diz porta-voz do ACNUR

© AP Photo / Eraldo Peres Neste sábado (20), celebra-se o Dia Mundial do Refugiado. …

Protesto contra a morte do jovem negro Guilherme Silva Guedes, de 15 anos, em São Paulo, em 16 de junho de 2020

Ativista: representatividade é importante, mas negros buscam equidade no Brasil

© REUTERS / Amanda Perobelli Manifestantes voltaram às ruas nesta semana, em São Paulo, para …

Presidente Jair Bolsonaro participa de cerimônia no Palácio da Alvorada em Brasília (DF)

Brasileiros são os mais insatisfeitos com ações de governo contra COVID-19, diz pesquisa

© AP Photo / Eraldo Peres O Brasil, em uma lista de 53 países, é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.